Follow by Email

segunda-feira, 20 de junho de 2011

DESENCANTO



EU FAÇO VERSOS COMO QUEM CHORA
DE DESALENTO...DE DESENCANTO...
FECHA O MEU LIVRO, SE POR AGORA
NÃO TENS MOTIVO NENHUM DE PRANTO
MEU VERSO É SANGUE.  VOLÚPIA ARDENTE...
TRISTEZA ESPARSA...REMORSO VÃO...
DÓI-ME NAS VEIAS. AMARGO E QUENTE,
CAI, GOTA  A  GOTA , DO CORAÇÃO.
E NESTES VERSOS DE ANGÚSTIA ROUCA,
ASSIM DOS LÁBIOS A VIDA CORRE
DEXANDO UM ACRE SABOR NA BOCA.
EU FAÇO VERSOS COMO QUEM  MORRE.




            de:MANUEL BANDEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário