Follow by Email

sábado, 30 de julho de 2011

velhas lembranças





COMO BRINCADEIRA DE RODA,DE QUANDO ERA CRIANÇA
MEUS PENSAMENTOS...VAI...E VEM...
PENSAMENTOS
ORA ALEGRES...ORA TRISTES
SEMPRE PULANDO COMO PASSARINHO NOS GALHOS
ME VEJO  QUANDO  MENINA
QUE BRINCAVA NOS TRILHOS DOS TRENS ,LÁ NO PARANÁ
ONDE FUI CRIADA.
UM VILAREJO COM MEIA DÚZIAS DE CASAS, UMA ESTAÇÃO DE TRENS E O BOTEQUINHO DO MEU AVÔ QUERIDO.
A VIDA CORRIA SOLTO NAQUELE LUGAR LONGE DE TUDO E DE TODOS,ONDE SÓ VIAMOS OUTRAS PESSOAS, QUANDO VINHA O TREM COM APENAS UM  VAGÃO DE PASSAGEIROS, PORQUE O RESTO TODO  DO TREM ERA DE CARGA.
ESSE TREM PASSAVA TODOS OS DIAS  MAS APENAS UMA VEZ POR DIA, ONDE PARAVA NA ESTAÇÃO E OS PASSAGEIROS DESÇIAM PARA TOMAR UM CAFÉZINHO NO BOTEQUINHO DO MEU AVÔ QUE ERA AO LADO DA ESTAÇÃO E SABOREAR OS SALGADOS DELIÇIOSOS QUE FAZIA MINHA AVÓ,EU FICAVA ALI PARADA,
OLHANDO PARA AQUELAS PESSOAS ESTRANHAS , VESTIDAS DE MANEIRA DIFERENTE DA GENTE,E QUE TAMBEM TINHA UM MODO
DIFERENTE DE FALAR
NESSA ÉPOCA, EU AINDA MENINA DE UNS OITO , NOVE ANOS TINHA COMO "PARCEIRAS"MINHAS DUAS PRIMAS QUE MORAVA COM MINHA TIA,( A MÃE DELAS) ,ERAMOS COMO UNHA E CARNE
APRONTAVAMOS TODAS,E DE TUDO QUE SE PODIA IMAGINAR
ANDAR POR CIMA DOS VAGÕES QUE ESTAVAM PARADOS NO PÁTIO DA ESTAÇÃO
PEGAR CARONA NOS TRENS QUE VINHAM DE OUTROS LUGARES
NADAR SEM ROUPAS NOS RIOS
IR NA FAZENDA QUASE TODAS AS MANHÃS BUSCAR O LEITE
E DE VEZ EM QUANDO TRAZER UMA TIGELA DE MANTEIGA
AS TRES (EU E MINHAS PRIMAS) IAMOS POR UM ATALHO NO MEIO DO MATO DESACALÇAS ATRAVESAVAMOS O RIOZINHO  E LÁ IAMOS NÓS QUASE TODAS AS MANHÃS BUSCAR O LEITE NA FAZENDA
MINHA TIA FALAVA "VÃO ACHAR OVOS NO MATO"
E LÁ IA AS TRES PROCURAR OS NINHOS DAS GALINHAS QUE ESTAVAM PERDIDOS NO MATO, ESTAVAM SEMPRE DEBAIXO DAS TOUCEIRAS DOS CAPINS BARBA-DE-BODE, ERA ALI QUE ELAS GOSTAVAM DE FAZER SEUS NINHOS, BEM ESCONDIDINHOS
A GENTE ACHAVA ,PEGAVA OS OVOS ENCHIAMOS UMA CESTA
E LEVAVA PARA CASA.
ERA UM LUGARLONGE DAS CIDADES
BEM NO MEIO DO MATO
QUE SE CHAMAVA
JOAQUIM MURTINHO
LÁ NO PARANÁ





     elizabeth rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário